Por que Brain?

Let's Brain

Sua empresa pode ser muito mais competitiva com a Brain

Descubra a melhor vocação para um terreno

Com os estudos vocacionais da Brain, com uso de ferramentas geodemográficas, analise de oferta e estimativas de absorção, é possível ter muito mais assertividade para a determinação de um produto imobiliário ou para instalação de um ponto comercial.

Saiba o tamanho e a configuração da oferta

Com mapeamentos constantes e presenciais em todo o Brasil, acompanhamos os níveis de oferta e absorção em diversas regiões, permitindo uma avalição de oportunidades de mercado e níveis de precificação.

Conheça a demanda

Com pesquisas qualitativas, com entrevistas em profundidade, focus groups, clientes ocultos e outras abordagens, é possível entender as percepções e motivações de um consumidor para aceitação, aquisição ou rejeição de um produto.

Quantifique a demanda

Com pesquisas quantitativas in loco, com amostragens probabilísticas, determinamos o tamanho potencial da demanda por um empreendimento imobiliário ou outro produto.

Por que não estou vendendo ?

Pela metodologia de diagnósticos comerciais completos, fazemos análise e as recomendações necessárias para ativação comercial de um empreendimento ou produto.

Ache o melhor local para instalação de sua empresa

Análises de localização para varejo, operações logísticas e indústrias permitem reduzir o nível de incerteza e localizar uma ocupação comercial de forma mais adequada, de acordo com os potenciais de consumo existentes e o nível de oferta.

Tel:+55 (41) 3243.2880
  • Blog

    14/06/2017 Por: Brain

    Como tornar o aprendizado automático

    Apesar de estarmos no meio do ano, sempre há tempo de criar novas resoluções. No trabalho, que muitas vezes se traduz em um vago desejo de ampliar nossos horizontes e aprender coisas novas. Mas para realmente fazer progressos consistentes, precisamos tornar a aprendizagem um hábito. Hábitos são libertadores, porque eles nos salvam da difícil tarefa de tomar decisões com mais frequência. Porque cerca de 40% da vida cotidiana é formada por hábitos, se temos hábitos que trabalham para nós, é muito mais provável ser feliz, saudável e mais produtivo.

    Identifique o que você precisa aprender.

    1 – Tire um tempo para pensar grande . No tumulto da vida diária, pode ser difícil dar um passo atrás e pensar sobre o que mais importa. Talvez você queira tirar 30 minutos uma vez por semana, ou tirar um dia pessoal, ou ir para um longo passeio de bicicleta. Onde você quer estar em dois anos? Como você pode desenvolver suas habilidades para tornar o seu trabalho mais interessante e você mesmo mais valioso? Algumas pessoas preferem fazer esse tipo de pensamento sozinho, com apenas um bloco de papel; outros preferem conversar sobre isso com alguns colegas de trabalho confiáveis ou um velho amigo.

    2 – Tire um tempo para pensar pequeno . Às vezes as pessoas ficam sobrecarregadas quando  tentam fazer grandes planos, por isso também é útil se concentrar em pequenos passos, gerenciáveis que você pode incorporar em sua vida imediatamente. Para tornar seu trabalho mais fácil ou mais retornável amanhã, o que você precisa aprender hoje?

    3 – Pergunte a si mesmo: quem você inveja? A inveja é uma emoção desconfortável, mas é instrutiva. Se você inveja alguém, essa pessoa tem algo que você gostaria de ter. Você tem inveja de seu amigo que começa a viajar o tempo todo – ou o amigo que nunca tem que viajar? Você tem inveja de seu colega de trabalho que está tomando aulas noturnas para a obter um MBA, ou quem precisa fazer muitas apresentações? A inveja pode nos ajudar a mostrar como queremos crescer e mudar. Uma vez que você já descobriu o que você precisa para aprender.

    Tornar o aprendizado habitual.

    4 – Seja específico sobre o que você está perguntando de si mesmo . Resoluções como “ler mais” ou “aprender coisas novas” são vagas demais. Coloque sua resolução na forma de um concreto, mensurável, ação administrável, como “todo mês, ir a pelo menos dois eventos com oportunidades de aprendizagem” ou “passar duas horas lendo todos os artigos salvos durante a semana.” ser específico ajuda você a descobrir o que fazer e também torna isso possível.

    5 – Monitore seu hábito . Pesquisas mostram que simplesmente monitorar um comportamento, tende a gerar um trabalho muito melhor, de pequenos passos diários a decisões importantes. Isso também é verdade sobre quantos tutoriais você está assistindo ou quantas vezes dedicamos tempo para praticar uma nova habilidade. Mantenha o controle, e você vai continuar na direção certa.

    6 – Programe um tempo para o seu hábito. Algo como “pesquisar isso e aquilo” é uma meta que pode sempre ir para a parte inferior da lista de afazeres. Mesmo que seja importante, não é urgente. Então agende um horário específico para pesquisa e aprendizagem.

    7 – Reconhecer que o trabalho é uma das formas mais perigosas de procrastinação . Quando você programa o tempo para fazer certo trabalho, você deve fazer esse trabalho, e nada mais. Sem enrolar, sem verificar e-mails. Fazer o trabalho agendado, ou olhar para o teto. Caso contrário, você pode trabalhar e trabalhar, e nunca vai terminar o que você se propôs a fazer.

    8 – Passe tempo com pessoas que têm os hábitos de aprendizagem que você deseja ter . Estudos mostram que tendemos a pegar hábitos das pessoas ao nosso redor, por isso escolha uma empresa com sabedoria. Se você sabe que alguns de seus colegas de trabalho fazem da aprendizagem um hábito, arrume maneira de passar mais tempo com eles, e você vai mais facilmente pegar esse hábito para si.

    E a coisa mais importante sobre mudança de hábito? Devemos moldar nossos hábitos para nos adequar – nossa própria natureza, os nossos próprios interesses, nossas próprias forças. Quando entendemos a nós mesmos, podemos aplicar estratégias de habituação com mais chances de sucesso.

     

    Adaptado de http://bit.ly/2rSXMHO