Por que Brain?

Let's Brain

Sua empresa pode ser muito mais competitiva com a Brain

Descubra a melhor vocação para um terreno

Com os estudos vocacionais da Brain, com uso de ferramentas geodemográficas, analise de oferta e estimativas de absorção, é possível ter muito mais assertividade para a determinação de um produto imobiliário ou para instalação de um ponto comercial.

Saiba o tamanho e a configuração da oferta

Com mapeamentos constantes e presenciais em todo o Brasil, acompanhamos os níveis de oferta e absorção em diversas regiões, permitindo uma avalição de oportunidades de mercado e níveis de precificação.

Conheça a demanda

Com pesquisas qualitativas, com entrevistas em profundidade, focus groups, clientes ocultos e outras abordagens, é possível entender as percepções e motivações de um consumidor para aceitação, aquisição ou rejeição de um produto.

Quantifique a demanda

Com pesquisas quantitativas in loco, com amostragens probabilísticas, determinamos o tamanho potencial da demanda por um empreendimento imobiliário ou outro produto.

Por que não estou vendendo ?

Pela metodologia de diagnósticos comerciais completos, fazemos análise e as recomendações necessárias para ativação comercial de um empreendimento ou produto.

Ache o melhor local para instalação de sua empresa

Análises de localização para varejo, operações logísticas e indústrias permitem reduzir o nível de incerteza e localizar uma ocupação comercial de forma mais adequada, de acordo com os potenciais de consumo existentes e o nível de oferta.

Tel:+55 (41) 3243.2880
  • Blog

    27/03/2019 Por: Brain

    5 dicas para manter as finanças da sua empresa saudáveis

    Estudos internacionais apontam duas razões principais pelas quais as empresas falham – falta de planejamento adequado e liderança fraca. De certa forma, esses dois fatores estão ligados às decisões tomadas pelo proprietário da empresa. Decisões ruins, como muita dívida ou investimentos inviáveis, podem alterar drasticamente a sorte da sua empresa. Neste artigo, vamos dar uma olhada em algumas maneiras pelas quais os proprietários de empresas podem manter suas finanças saudáveis por meio de planejamento inteligente e liderança séria.

    1. Dívida pode valer a pena.
    Um dos dilemas perenes que os empresários enfrentam ao levantar fundos para seus negócios é a escolha entre capital e dívida. Aumentar os fundos ao desistir da equidade pode parecer atraente para um empresário iniciante avesso ao risco. No entanto, desistir de muito capital dilui sua própria participação na empresa e pode ser uma má escolha a longo prazo. A dívida, por outro lado, pode ser paga e permite que você mantenha o controle sobre o negócio. Em outras palavras, embora o aumento da dívida possa ser doloroso no curto prazo, ela protege sua participação no longo prazo e pode, assim, colher dividendos maiores.

    2. Quando escolher dívida sobre capital próprio.
    Várias startups na web e no espaço tecnológico de hoje não têm uma política clara de monetização durante a fase de lançamento. Empresas como o Twitter passaram por várias rodadas de captação de recursos antes de começarem a ganhar dinheiro. É uma boa ideia abrir mão de ações nesses casos, uma vez que essas empresas não têm um fluxo de receita claro para começar a pagar suas dívidas. No entanto, se você é uma empresa iniciante ou de pequeno porte com um fluxo de receita estabelecido e um fluxo de caixa estável, não há razão para escolher o capital em vez da dívida.

    3. Quanta dívida é demais?
    Há um limite para a quantidade de dívida que uma empresa pode ter. Vale a pena notar que a receita de negócios nem sempre será consistente. As forças do mercado fora de seu controle podem crescer ou prejudicar a demanda em seu produto ou serviço. É, portanto, uma boa ideia apenas ter dívidas que podem ser pagas de volta, mesmo se você parar de ganhar dinheiro por um mês ou dois. Um bom empresário sabe manter um equilíbrio justo entre o dinheiro arrecadado através de dívidas e o dinheiro infundido através da venda de ações.

    4. Mantenha baixo capital de giro.
    O capital de giro é o dinheiro necessário para simplesmente manter o negócio funcionando. É essencialmente o valor de seus ativos atuais menos o seu passivo circulante. Construir seu produto requer infusão de capital e sem um cliente pagante, seu produto é um passivo esperando para ser liquidado. As empresas que oferecem longos períodos de crédito a seus clientes exigem alto capital de giro. Por outro lado, se você exigir pagamento adiantado pelo seu produto ou serviço, então os ativos líquidos em seu sistema são mais altos que os passivos. Você exigiria, portanto, baixo capital de giro. Ajuste seus processos de negócios, incluindo períodos de crédito, para reduzir o capital de giro necessário para administrar seus negócios.

    5. Insista em faturas recorrentes.
    Os aplicativos de software de faturamento modernos permitem que os clientes configurem o faturamento automático em suas compras. Existem dois grandes benefícios com o uso de faturas recorrentes para seus clientes. Em primeiro lugar, reduz as contas a receber da sua organização. Embora seja habitual marcar as contas a receber como um ativo em seus livros contábeis, isso pode ser um passivo para as pequenas empresas que não têm os recursos e os meios para receber o pagamento a tempo pelos serviços prestados. Em segundo lugar, os pagamentos automatizados estabelecem um nível de consistência em suas declarações de renda. Isso ajuda seu plano de negócios com melhor planejamento de demanda e gerenciamento de logística.

    As dicas fornecidas acima podem ajudar sua organização a reduzir a dívida sem comprometer demais a propriedade da sua empresa. Além disso, ajustando suas práticas de crédito, é possível estabelecer um processo de negócios saudável, mais adequado para enfrentar os caprichos e a inconstância no mercado e garantir a sobrevivência a longo prazo.

    Leia a matéria original aqui.